English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Sonny Stitt


Edward "Sonny" Stitt nasceu no dia 2 de fevereiro de 1924 em Boston, Massachusetts, Estados Unidos. Filho de Edward Boatner (cantor, compositor e professor de música), foi adotado pela família Stitt que o criou em Saginaw, Michigan. (Não existe registros do porquê Sonny foi colocado à adoção logo após seu nascimento).
Stitt havia tocado em algumas bandas de swing no início dos anos 40 e foi destaque na big band de Tiny Bradshaw. Com um estilo extraordinariamente semelhante à Charlie Parker, entrou na banda de Dizzy Gillespie em 1945, justamente substituindo Parker. Tocou saxofone alto na big band de Billy Eckstine ao lado dos futuros pioneiros do bop Dexter Gordon e Gene Ammons. Em 1945 começou a tocar saxofone tenor com maior freqüência, a fim de evitar ser referido como um imitador de Charlie Parker. Na verdade, Stitt começou a desenvolver um som muito mais distintivo com o tenor. Passou algum tempo na prisão federal de Lexington, Kentucky , entre 1948 e 1949, por vender narcóticos. Nos anos 1950, tocou com músicos como Bud Powell e Eddie "Lockjaw" Davis, e gravou para a Prestige Records. No final da década, fez várias experiências com o jazz afro-cubano.
Juntou-se à Miles Davis brevemente em 1960. Stitt fez uma série de gravações memoráveis ​​com seu amigo e colega saxofonista Gene Ammons, visto por muitos como o melhor trabalho de ambos. Aventurou-se no soul jazz e gravou com o compositor e sax tenor Booker Ervin em 1964 no álbum Soul People. Mesmo que sua produtividade tenha diminuído na década de 1970 devido ao alcoolismo, em 1972 produziu um outro clássico, Tune-Up!, considerado por muitos críticos de jazz como seu disco definitivo. Após ter vencido o vício, juntou-se ao Giants of Jazz, com Art Blakey, Dizzy Gillespie, Thelonious Monk, Kai Winding e o baixista Al McKibbon.
O rejuvenescido Stitt também fez turnês com Red Holloway no final dos anos 1970. Em 1982, Stitt sofreu um ataque cardíaco e morreu em 22 de julho em Washington.

Discografia 
1950: Stitt's Bits ([1958]) 1950-52: Kaleidoscope ([1957]) 1954: Jazz at the Hi-Hat 1954: The Battle of Birdland com Eddie Davis 1955: Sonny Stitt Plays Arrangements from the Pen of Quincy Jones 1956: Sonny Stitt Plays 1956: New York Jazz 1956: For Musicians Only com Dizzy Gillespie e Stan Getz 1957: 37 Minutes and 48 Seconds with Sonny Stitt 1957: Personal Appearance 1957: Sonny Stitt with the New Yorkers 1957: Only the Blues 1957: Sonny Side Up com Dizzy Gillespie e Sonny Rollins 1958: The Saxophones of Sonny Stitt 1958: Sonny Stitt 1958: Burnin' 1959: The Hard Swing 1959: Sonny Stitt Plays Jimmy Giuffre Arrangements 1959: A Little Bit of Stitt 1959: Sonny Stitt Sits with the Oscar Peterson Trio 1959: The Sonny Side of Stitt 1959: Sonny Stitt Blows the Blues 1959: Saxophone Supremacy 1959: Sonny Stitt Swings the Most 1960: Stittsville 1960: Previously Unreleased Recordings 1960: Sonny Side Up 1961: The Sensual Sound of Sonny Stitt com Ralph Burns Strings 1961: Sonny Stitt at the D. J. Lounge 1961: Dig Him! com Gene Ammons 1961: Boss Tenors com Gene Ammons 1962: Stitt Meets Brother Jack com Jack McDuff 1962: Boss Tenors in Orbit! com Gene Ammons 1962: Soul Summit com Gene Ammons e Jack McDuff 1962: Feelin's 1962: Low Flame 1960–62: Stitt in Orbit 1962: Sonny Stitt & the Top Brass 1962: Rearin' Back 1963: Stitt Plays Bird 1963: My Mother's Eyes com Charles Kynard 1963: Move on Over 1963: Now! 1963: Salt And Pepper 1963: Soul Shack 1963: Stitt Goes Latin 1963: Primitivo Soul! 1964: My Main Man com Bennie Green 1964: Shangri-La com Don Patterson 1964: Soul People com Booker Ervin e Don Patterson 1965: Inter-Action com Zoot Sims 1965: Broadway Soul 1965: The Double-O-Soul of Sonny Stitt Part1/Part2 1965: Sax Expressions 1965: Live at Ronnie Scott's 1965: The Matadors Meet the Bull 1965: Pow! 1965: Night Crawler com Don Patterson 1966: Soul in the Night com Bunky Green 1966: What's New!!! 1966: I Keep Comin' Back! 1966: Deuces Wild com Robin Kenyatta 1967: Parallel-a-Stitt 1968: Made for Each Other 1968: Soul Electricity! 1968: Come Hither 1969: Night Letter 1969: Little Green Apples 1971: Turn It On! 1971: You Talk That Talk! com Gene Ammons 1971: Black Vibrations 1971: Just the Way It Was 1972: Tune-Up! 1972: Goin' Down Slow 1972: Constellation 1972: So Doggone Good 1972: 12! 1973: Mr. Bojangles 1973: The Champ 1973: God Bless Jug and Sonny com Gene Ammons 1973: Left Bank Encores com Gene Ammons 1973: Together Again for the Last Time com Gene Ammons 1974: Satan 1975: Never Can Say Goodbye 1975: Mellow 1975: Dumpy Mama 1975: My Buddy: Sonny Stitt Plays for Gene Ammons 1975: Blues for Duke 1976: Stomp Off Let's Go 1976: Forecast: Sonny & Red com Red Holloway 1977: I Remember Bird 1977: Sonny Stitt with Strings: A Tribute to Duke Ellington 1978: The Sonny Stitt Quintet 1978: Sonny Stitt Meets Sadik Hakim 1979: Zimbo Convida Sonny Stitt com Zimbo Trio 1980: Groovin' High 1980: Atlas Blues "Blow & Ballad" 1980: Sonny's Back 1981: In Style 1981: Sonny, Sweets and Jaws: Live at Bubbas com Harry "Sweets" Edison e Eddie Lockjaw Davis 1981: Just in Case You Forgot How Bad He Really Was 1982: The Last Stitt Sessions
Fonte: Wikipédia

Kenny Burrell


Kenneth Earl "Kenny" Burrell nasceu em Detroit, Michigan, Estados Unidos, no dia 31 de julho de 1931. Começou a tocar guitarra com 12 anos de idade. Passou a estudar composição e teoria com Louis Cabara e guitarra clássica com Joe Fava.
Suas primeiras gravações em 1951 como membro do sexteto de Dizzy Gillespie. Na faculdade, Burrell fundou o New World Music Society com outros músicos de Detroit como Pepper Adams, Donald Byrd, Elvin Jones e Yusef Lateef. Excursionou com Oscar Peterson depois de se formar em 1955 e depois mudou-se para New York em 1956 com o pianista Tommy Flanagan. Em poucos meses, Burrell gravou seu primeiro álbum como líder da Blue Note e tanto ele como Flanagan foram muito procurados como músicos de estúdio, tocando com os cantores Tony Bennett e Lena Horne e gravando com Billie Holiday, Jimmy Smith, Gene Ammons e Kenny Dorham, entre outros.
De 1957 a 1959, ocupou a antiga cadeira de Charlie Christian na banda de Benny Goodman. Desde sua estréia em New York, Burrell teve uma prolífica carreira discográfica, e os críticos citam The Cats com John Coltrane em 1957, Midnight Blue com Stanley Turrentine em 1963 e Guitar Forms com o arranjador Gil Evans em 1965, como destaques particulares.
Em 1978, começou a dar aulas no curso da UCLA (Universidade da Califórnia) chamado "Ellingtonia", examinando a vida e as realizações de Duke Ellington. Desde 1996, Burrell vem atuando como Diretor dos Estudos de Jazz na UCLA. Em 2005 foi incluído no National Endowment for the Arts (NEA).

Discografia 
Introducing Kenny Burrell (1956) Kenny Burrell Volume 2 (1956) Swingin' (1956) All Night Long (1956) All Day Long (1957) Earthy (1957) Kenny Burrell (1957) 2 Guitars (1957) com Jimmy Raney K. B. Blues (1957) "Monday Stroll" (1957) com Frank Wess Just Wailin' (1958) com Herbie Mann, Charlie Rouse e Mal Waldron Kenny Burrell and John Coltrane (1958) Blue Lights Volume 1 (1958) Blue Lights Volume 2 (1958) On View at the Five Spot Cafe (1959) A Night at the Vanguard (1959) Weaver of Dreams (1960–61) Bluesy Burrell (1962) Midnight Blue (1963) Crash! (1963) com Jack McDuff Lotsa Bossa Nova! (1963) Blue Bash! (1963) com Jimmy Smith Travelin' Light (1964) com Shirley Scott Soul Call (1964) Guitar Forms (1965) The Tender Gender (1966) Have Yourself a Soulful Little Christmas (1966) Ode to 52nd Street (1967) Asphalt Canyon Suite (1969) God Bless the Child (1971) 'Round Midnight (1972) Both Feet on the Ground (1973) Up the Street, 'Round the Corner, Down the Block (1974) Sky Street (1974) Ellington Is Forever (1975) Tin Tin Deo (1977) Handcrafted (1978) When Lights Are Low (1978) Live at the Village Vanguard (1978) In New York (1978) Moon and Sand (1979) Heretige (1980) Listen to the Dawn (1980) Groovin' High (1981) Ellington à la Carte (1983) À la Carte (1983) Togethering (1985) com Grover Washington Jr. Generation (1986) Guiding Spirit (1989) Sunup to Sundown (1991) Then Along Came Kenny (1993) Lotus Blossom (1995) Love Is the Answer, featuring The Boys Choir of Harlem (1998) Lucky So and So (2001) Blue Muse (2003) The Ralph J. Bunche Suite (2006) 75th Birthday Bash Live! (2007) Be Yourself: Live at Dizzy's (2010) Tenderly (2011) Special Requests (and Other Favorites) (2013) The Road to Love (2015)
Fonte: Wikipédia

J.J. Johnson


James Louis "J. J." Johnson nasceu em 22 de janeiro de 1924 na cidade de Indianapolis, Indiana, Estados Unidos. Inicialmente aos 9 anos, tocava piano, passando a tocar trombone aos 14 anos.
Em 1941 começou sua carreira profissional com Clarence Love e em seguida, tocando com Snookum Russell em 1942. Entre 1942 e 1945 tocou na banda de Benny Carter e sob a liderança de Carter fez suas primeiras gravações em 1942. Em 1945, juntou-se à big band de Count Basie.
Após deixar Basie em 1946 começou a tocar em pequenas bandas de bebop em clubes de Nova York. Johnson fez turnê em 1947 com Illinois Jacquet. Durante este período, liderou e gravou com pequenos grupos com Max Roach, Sonny Stitt e Bud Powell. Participou do álbum clássico Walkin' (1954) de Miles Davis. Em 1954 reuniu-se com o trombonista Kai Winding. Embora com estilos diferentes, o duo gravou vários discos com enorme sucesso tanto musical como comercialmente e percorreram clubes noturnos pelos Estados Unidos antes de se separarem amigavelmente em 1956. Futuramente voltaram a se reunir para turnês e também participaram das sessões de gravação do último disco de Sarah Vaughan lançado em 1967, Sassy Swings Again.
Após separar-se de Winding, começou a liderar pequenas bandas e durante os próximos três anos, excursionou pelos Estados Unidos, Reino Unido e Escandinávia . Esses grupos incluíam os saxofonistas tenor Bobby Jaspar e Clifford Jordan, os trompetistas Nat Adderley e Freddie Hubbard, os pianistas Tommy Flanagan e Cedar Walton e os bateristas Elvin Jones, Albert "Tootie" Heath e Max Roach.
A partir de meados da década de 1950, mas especialmente no início dos anos 1960, Johnson dedicou cada vez mais tempo às composições. Tornou-se um contribuidor ativo ao movimento de jazz do Third Stream (que incluiu outros músicos como Gunther Schuller e John Lewis ), e escreveu um número de trabalhos de grande escala que incorporaram elementos da música clássica e do jazz. Na década de 1970, mudou-se para a Califórnia e começou a compôr para o cinema e televisão, afastando-se dos concertos. Johnson retornou às turnês e às gravaçoes em novembro 1987, mas em 1988 afastou-se novamente por três anos para cuidar de sua esposa doente. Após a morte de sua esposa, começou a se apresentar novamente em 1992 e gravou para várias gravadoras. Ganhou várias indicações ao Grammy durante esse período.
Mais tarde foi diagnosticado com câncer de próstata e no dia 4 de fevereiro de 2001, cometeu suicídio. Seu funeral em Indianápolis atraiu músicos de jazz, amigos e familiares de todo o país. Várias das composições de Johnson, tornaram-se jazz standards. JJ fez para o trombone o que Charlie Parker fez para o saxofone.
J.J. Johnson foi incluído no Down Beat Hall of Fame em 1995.

Discografia 
1949: J. J. Johnson's Jazz Quintets 1949: Modern Jazz Trombones 1949: J. J. Johnson with Sonny Stitt 1952: Jazz South Pacific 1953: Jay Jay Johnson with Clifford Brown 1953: Jazz Workshop, Volume One: Trombone Rapport com Kai Winding, Bennie Green, Willie Dennis 1953: Jazz Workshop, Volume Two: Trombone Rapport 1953: Four Trombones 1954: The Eminent Jay Jay Johnson, Vol. 2 1955: The Eminent Jay Jay Johnson, Vol. 3 1956: J Is for Jazz 1957: First Place 1957: Blue Trombone 1957: Dial J. J. 5 1957: Stan Getz and J.J. Johnson at the Opera House 1958: J. J. in Person! 1959: Really Livin' 1960: Trombone and Voices 1960: J.J. Inc. 1961: A Touch of Satin 1961: André Previn and J. J. Johnson com André Previn 1963: J.J.'s Broadway 1964: Proof Positive 1964: J.J.! 1965: Goodies 1965: Broadway Express 1966: The Total J.J. Johnson 1977: The Yokohama Concert com Nat Adderley 1979: Pinnacles 1980: Concepts in Blue 1982: Aurex Jazz Festival ’82 All Star Jam 1983: Jackson, Johnson, Brown and Company 1984: We'll Be Together Again com Joe Pass 1984: Things Are Getting Better All the Time com Al Grey 1988: Quintergy 1988: Standards 1992: Vivian 1992: Let's Hang Out 1994: Tangence com the Robert Farnon Orchestra 1996: The Brass Orchestra 1998: Heroes
Fonte: Wikipédia

Jackie McLean


John Lenwood "Jackie" McLean nasceu no dia 17 de maio de 1931 na cidade de New York, Estados Unidos. Seu pai, John Sr., tocava guitarra na orquestra de Tiny Bradshaw. Após a morte de seu pai em 1939, Jackie continuou estudando com seu padrinho, seu padrasto (dono de uma loja de discos) e vários professores notáveis. Recebeu ainda, aulas informais dos vizinhos Thelonious Monk, Bud Powell e Charlie Parker.
Durante a escola secundária, já tocava seu sax em uma banda com Kenny Drew, Sonny Rollins e Andy Kirk Jr. (saxofonista tenor filho de Andy Kirk). Junto com Rollins, tocou no álbum de Miles Davis, Dig, quando estava com somente 20 anos de idade. Ainda jovem, também gravou com Gene Ammons, Charles Mingus no àlbum Pithecanthropus Erectus, George Wallington e como membro da Art Blakey and The Jazz Messengers. Suas primeiras gravações como band leader foram em 1955. Mesmo sem abandonar suas raízes no hard bop, McLean tornou-se um expoente do jazz modal. Gravou pela Prestige Records (1956 e 1957) e pela Blue Note Records de 1959 a 1967. Pela Blue Note, seu trabalho foi altamente reconhecido, como band leader ou somo sideman para músicos como Donald Byrd, Sonny Clark, Lee Morgan, Ornette Coleman, Dexter Gordon e outros.
Em 1962, gravou Let Freedom Ring. Incorporando idéias dos desenvolvimentos de free jazz de Ornette Coleman, o álbum resultou em uma fantástica fusão entre o hard bop e o "new breed". Desde então, suas adaptações do jazz modal, as inovações do free jazz a sua visão de hard bop, tornaram suas gravações distintas e inovadoras.
Em 1967, seu contrato de gravação, como os de muitos outros músicos progressistas, foi encerrado pela nova administração da Blue Note. Suas oportunidades de gravar prometiam tão pouco pagamento que McLean abandonou as gravações como uma maneira de ganhar a vida, concentrando-se em turnês.
Em 1968, começou a ensinar na Hartt School da Universidade de Hartford. Mais tarde montou o Departamento de Música Afro Americano da universidade. Em 1970, ele e sua esposa, Dollie McLean, juntamente com o baixista de jazz Paul (PB) Brown, fundaram o Artists Collective, Inc. of Hartford, uma organização dedicada à preservação da arte e da cultura africana, fornecendo programas educacionais e instrução em dança, teatro, música e artes visuais.
Jackie McLean morreu em 31 de março de 2006, em Hartford, Connecticut. No mesmo ano, foi incluído no DownBeat Hall of Fame.

Discografia 
Presenting Jackie McLean (1955) Lights Out! (1956) 4, 5 and 6 (1956) Jackie's Pal (1956) McLean's Scene (1957) Jackie McLean & Co. (1957) Makin' the Changes (1957) A Long Drink of the Blues (1957) Strange Blues (1957, lançado em 1964) Alto Madness (1957) Fat Jazz (1957) Jackie McLean Quintet reissue of Ad Lib Presenting Jackie McLean (1957) New Soil (1959) Swing, Swang, Swingin' (1959) Capuchin Swing (1960) Jackie's Bag (1959–60) Bluesnik (1961) A Fickle Sonance (1961) Let Freedom Ring (1962) Tippin' the Scales (1962) Vertigo (1962–63) One Step Beyond (1963) Destination... Out! (1963) It's Time! (1964) Action Action Action (1964) Right Now! (1965) Jacknife (1965) Consequence (1965 lançado em 1979) Hipnosis (1967) New and Old Gospel (1967) 'Bout Soul (1967) Demon's Dance (1967) Ode to Super (1973) A Ghetto Lullaby (1974) The Meeting with Dexter Gordon (1974) The Source wiyh Dexter Gordon (1974) Antiquity (1975) com Michael Carvin New York Calling (1975) com the Cosmic Brotherhood Contour (1980) Dynasty (1990) The Great Jazz Trio – New Wine in Old Bottles (East Wind (1978) Monuments (1979) The Jackie Mac Attack Live (1991) Rhythm of the Earth (1992) Fire & Love (1998) Nature Boy (2000)
Fonte: Wikipédia

Sonny Clark


Conrad Yeatis "Sonny" Clark nasceu no dia 21 de julho de 1931 em Herminie, Pennsylvania, Estados Unidos. Caçula de oito irmãos, aos doze anos mudou-se para Pittsburgh.
Aos vinte anos se mudou para a Califórnia e começou a trabalhar com o saxofonista Wardell Gray. Em 1953, acompanhado do contrabaixista Oscar Pettiford foi para San Francisco onde começou a trabalhar com o clarinetista Buddy De Franco. Com De Franco, Clark viajou pela Europa e Estados Unidos até 1956 quando juntou-se ao The Lighthouse All-Stars, liderada pelo baixista Howard Rumsey. Tocou para a cantora Dinah Washington, em fevereiro de 1957.
Mudou-se para New York e lá, era frequentemente requisitado como sideman por vários músicos; Kenny Burrell, Donald Byrd, Paul Chambers, John Coltrane, Dexter Gordon, Art Farmer, Curtis Fuller, Grant Green, Philly Joe Jones, Clifford Jordan, Jackie McLean, Hank Mobley, Art Taylor e Wilbur Ware. Exímio pianista, gravou vários discos aclamados como Dial "S" for Sonny (1957), Sonny's Crib (1957), Sonny Clark Trio (1957) com Paul Chambers e Philly Joe Jones, Cool Struttin' (1958) e Sonny Clark Trio com George Duvivier e Max Roach foi gravado em 1960.
Sonny Clark morreu no dia 13 de janeiro de 1963 em New York.
Amigo pessoal do grande pianista Bill Evans que dedicou a composição "NYC's No Lark" (lançada no álbum de Evans Conversations with Myself de 1963) em memória de Clark. John Zorn, Wayne Horvitz, Ray Drummond e Bobby Previte, como Sonny Clark Memorial Quartet, gravaram um álbum somente com composições de Clark.

Discografia 
Oakland 1955 (1955) Dial "S" for Sonny (1957) Sonny's Crib (1957) Sonny Clark Trio (1957) Sonny Clark Quintets (1957) Cool Struttin' (1958) The Art of The Trio (1958) Blues in the Night (1958) My Conception (1959) Sonny Clark Trio (1960) com Max Roach e George Duvivier Leapin' and Lopin' (1961) Standards (1998) coletânea
Fonte: Wikipédia